Portos do Brasil: desafios no país

Estudos já demonstram que o transporte marítimo chega a representar 90% de todo comércio internacional. No Brasil, já se sabe que 80% de todas as exportações são feitas pelos portos do Brasil

O mercado apenas pode crescer caso a logística dos portos do Brasil consiga superar alguns desafios sérios.

Neste artigo, falaremos sobre como é importante existir uma ação das iniciativas privadas com o objetivo de criar um setor mais favorável, que consiga se desenvolver de forma harmônica. 

O mar brasileiro e os portos do Brasil estão entre os melhores pontos de transbordo do mundo. Como prestadores de serviços logísticos e motores de crescimento para toda a economia, eles são de grande importância. 

Sem o desempenho dos portos do Brasil, o papel da Alemanha como uma das principais nações exportadoras do mundo não seria possível. 

Quase todos os setores da economia dependem do funcionamento dos portos e das infraestruturas bem desenvolvidas. 

Portos são locais de alta tecnologia com empregos atraentes. São de grande importância regional e macroeconômica e exigem uma força de trabalho altamente qualificada.

Um olhar sobre a logística dos portos do Brasil

O transporte hidroviário está em expansão. A demanda pelos portos brasileiros deverá saltar em quase 100% nas próximas duas décadas, somando 1,8 bilhão de toneladas. 

Bem, além disso é importante considerar que a cabotagem no país alcançará quase 30% no ano de 2025. Essas importantes informações foram tiradas do PNLP.

De toda forma, é importante saber que alguns fatos podem influenciar nesses resultados. Entenda abaixo.

Acesso terrestre

Falando do transporte rodoviário, saiba que ele está sobrecarregado em sua maior parte, enquanto o ferroviário é uma versão completamente diferente, com um bom número de trilhos. Isso pode prejudicar o fluxo de carga nos terminais, porque é necessário estradas com alta qualidade para facilitar o transporte.

Por outro lado, a cabotagem pode facilmente percorrer grandes distâncias e também é capaz de transportar diversas cargas, e resulta em menores custos devido já que podemos considerar o baixo custo com combustíveis e ao compartilhamento de ganhos de eficiência– não é complicado transportar cargas de para mais de um embarcador.

Diante disso, o que se destaca como problema de acesso terrestre é que se pode aumentar o tempo para o carregamento e descarregamento completo da carga. Nesse caso, não há como esquecer os problemas que são resultados de longas filas de espera para chegar aos portos.

Acesso ao mar

Essa migração do meio rodoviário para a cabotagem por um número cada vez maior de embarcadores resulta em questões que devem ser observadas. Por exemplo, se torna fundamental que navios mais modernos, que, por sua vez, tenham mais capacidade, acessem com facilidade determinados locais.

E sobre a dragagem, podemos dizer que ela passa por uma vários de pontos burocráticos, para liberação dos recursos e para garantias ambientais. O sistema que o Brasil lida, de acordo com a CNI, é um pouco lento, e faz com que muitos valores sejam perdidos por ano!

Fatores como estes impactam na eficiência do transporte gerando aumento no no valor desse transporte marítimo. 

De toda forma, o investimento na infraestrutura, se mal feito, poderá custar ainda mais problemas para o transporte marítimo — e isso impacta de forma abrangente a economia do Brasil.

As limitações e seus impactos 

As limitações dos portos brasileiros são eficientes para o fluxo de carga, principalmente em relação aos custos de transporte que tornam os produtos nacionais mais caros, diminuindo assim a todo aquele clima de competitividade do mercado.

Os portos brasileiros podem passar por diversos problemas, como a ausência de calado, esse é capaz de deixar os processos bem mais limitados.

Esse cenário, novo, com o acesso ao mar, sendo que são necessárias mais viagens para transportar determinada quantidade de carga, é um fator que determina para que o transporte de contêineres entre a Ásia e o Brasil seja um dos mais caros.

Os desafios da logística portuária brasileira

Os grandes problemas da logística brasileira se relacionam com a burocracia e também com um desleixo no investimento.

Alguns dados da CNI apresentam uma relação em que durante 20 anos o Brasil investiu muito pouco, na verdade, um pouco mais de 2% do seu PIB em estrutura. Esse dado fica mais interessante quando pensamos que outros países emergentes recebem cerca de 4% a 5%.

O transporte rodoviário, mesmo sendo o mais expressivo do país segundo dados disponibilizado no ano de 2018 pela CNT, apenas 12,4% das vias são pavimentadas e, entre elas, ainda assim, mais de 60% apresenta problemas na estrutura.

Em resumo, o modal ferroviário, que transporta mais de 20% de uma produção nacional em crescimento, segundo a CNT, não utiliza 30% de seus trilhos e compartilha apenas 8% da carga, as famosas ilhas de transporte.

Sendo bem menos poluente e apresentando riscos a acidentes e furtos bem menores, talvez a melhor alternativa ainda seja a cabotagem. No entanto, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está mudando muito isso, representando menos de pouco menos que 11% do transporte marítimo do país brasileiro.

Em suma, podem ser considerados pontos importantes na limitação dos portos no Brasil os seguintes itens:

  • Valor baixo do investimento na infraestrutura;
  • Muita burocracia;
  • Pouco proveito do rodoviário, mal pavimentado;
  • Trilhos não utilizados no modal ferroviário;
  • Falta de infraestrutura para cabotagem.

Importância dos portos do Brasil para a expansão da energia eólica offshore

Os portos do Brasil desempenham um papel central na cadeia de valor da energia eólica offshore. Para a construção de parques eólicos offshore, os portos são o hub pelo que todos os componentes da turbina têm que passar. 

Muito mais é feito nos portos do que o carregamento das partes individuais de caminhões, barcaças ou trens em rebocadores especiais adequados para o alto mar. 

No porto, muitos componentes da planta são produzidos, temporariamente armazenados ou parcialmente montados. Além disso, os portos offshore são a base para embarcações especiais que são necessárias para o transporte e instalação dos sistemas no mar. 

Eles são o ponto de partida para o trabalho de manutenção e reparo. O Brasil depende dos portos para que a economia brasileira continue crescendo, espero que tenha gostado do conteúdo, até a próxima!Esse conteúdo foi desenvolvido em parceria com o site Naval Porto Estaleiro, um site especializado em economia e indústria naval.

Fique bem informado dos acontecimentos do dia dia e sobre assuntos que somente aqui são abordados e destrinchados para você leitor estar sem bem informado e consumindo conteúdo de qualidade em nosso portal de conteúdo. Seja bem vindo ao Jornal Agora Brasil e fique a vontade

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

19 − 4 =