Dependência Química: o amor patológico e uma relação de confiança

O termo amor patológico tem como significado um comportamento excessivo por alguma pessoa, objeto ou produto. O individuo ao viver um amor patológico tem hábitos prejudiciais tanto para si, quanto para os outros. Seu comportamento pode alterar drasticamente, e quando frustrado com algo que não deu certo, o individuo pode desenvolver a depressão, ansiedade e dependência. Você sabia que a dependência é considerada uma doença crônica e progressiva? Independente de qual seja o vício, o excesso não é considerado uma atitude saudável e que em inúmeras vezes, deve ser tratada com ajuda de uma equipe multiprofissional. No artigo de hoje, iremos descrever sobre a relação entre o amor patológico e o mundo das drogas. Acompanhe a leitura! 

 Estudos apontam que há características que ajudam a identificar se uma pessoa está vivendo o transtorno, como por exemplo a abstinência. Se um usuário de drogas passa um longo período sem as drogas no organismo, dentre algumas horas poderá entrar em processo de abstinência. Negação; um dependente químico no início da sua vida no mundo das drogas não consegue perceber que se tornou um dependente, acredita que seu vício está controlado. Fracasso;  ao tentar diminuir as dosagens, não consegue. Esse sentimento de fracasso ocorre pois o seu corpo está totalmente dependente das drogas, e a tentativa de diminuir as dosagens será falha. Abandono; quando uma pessoa vive o amor patológico, automaticamente deixa de fazer as atividades que antes fazia com frequência e vive em torno do vício. Além do mais, o problema é considerado uma dependência, a pessoa que possuí tal transtorno não consegue mudar sua conduta. 

A dependência química como processo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que a dependência química é uma doença, e como toda a doença há um tratamento. Problemas de saúde devem ser acompanhados com ajuda de profissionais da área da saúde, antes que problemas maiores venham ocorrer. Doenças não tratadas podem levar uma pessoa a morte, e com a dependência química além do vício desenvolvido ao longo de sua vida, outros problemas de saúde podem ser desenvolvidos com a enfisema pulmonar, problemas respiratórios e pulmonares, cânceres, lesão no fígado, problemas no estômago, e doenças psíquicas.  

Substâncias químicas

Para cada substância química um efeito colateral e duração de vida distinta, quanto mais um dependente químico aumentar as dosagens, mais sua situação será delicada. Altas dosagens ou mudanças para drogas mais potentes, pode interferir para o quadro atual de um adicto. O processo para o tratamento pode ser longo e duradouro, com uma internação involuntária , voluntária ou compulsória no início da internação o paciente pode tornar-se irritado, nervoso, depressivo e ansioso. Levando a uma internação entre 180 dias e 1 ano, como foi descrito acima, para cada caso uma recuperação e tratamento específico. O Grupo Aliança pela Vida pode te auxiliar nesse processo de recuperação, se precisar de ajuda, entre em contato. 

A enfermidade da dependência

Para entendermos como funciona a dependência química de forma mais explicativa, o produto químico quando é ingerido no organismo, dentre alguns minutos chegará ao cérebro. O Sistema Nervoso Central (SNC) é afetado drasticamente, e com isso produz a liberação da dopamina. Os neurotransmissores são substâncias químicas capazes de trabalhar para que a mente e o corpo trabalhem de forma saudável, a dopamina estimula a liberação de prazer, felicidade, euforia e alegria. Com isso, se um dependente químico estimular um dos neurotransmissores de forma excessiva, o sistema límbico estará alto. Quando um adicto cessa o uso, sentirá sentimento de tristeza profunda e dentre outros problemas psíquicos, fazendo com que o usuário repita a prática inúmeras vezes. 

Quando um usuário de drogas perceber o que o vício lhe causou, poderá ser tarde demais. Drogas matam, e com isso é necessário um tratamento adequado com base nas necessidades do dependente químico. A dependência química é considerada uma enfermidade, e uma vez sendo estimulada, o problema se torna crônico, sem cura. Todavia, é possível que o adicto aprenda a viver sem o uso de drogas, clínicas de recuperação ensinam viciados em narcóticos a aprender viver em sociedade de forma controlada, evitando a prática excessiva de consumir drogas.  

Atuação nos sentimentos

Atuação do sentimento está voltado ao pensamento em que um dependente químico tem sobre alguma prática ou substância, há fatores emocionais entre a droga e usuário de drogas. A mente do usuário acredita que ele tem o controle daquilo que está sentindo durante o uso, o sentimento parece ser real. O usuário de drogas sente desejo em adquirir o produto, ele almeja saciar o seu sentimento. Todavia, não podemos descrever como sentimento e sim como compulsão, uma doença que leva a cometer atitudes incontroláveis. Você deve estar se perguntando, mas o que pode levar uma pessoa a fazer o uso de substâncias químicas? Não há um fator em específico que determine esse processo. Contudo, podemos apontar como uma fuga da realidade, tristeza profunda, problemas familiares, frustrações, ansiedade, brigas e dentre outros.  

De acordo com relatos de dependentes químicos, a substância química causa euforia, alegria, animação. A droga é uma falsa ilusão de bem-estar, a substância química não solucionará os problemas reais, e sim aumentará. A atuação nos sentimentos causa problema a vida social, profissional, psíquica e familiar, a vida de uma pessoa pode ser destruída em consequência ao abuso de substâncias químicas. O uso após consumir o produto não é uma atuação sobre o sentimento, mas sim a alimentação da sua compulsão. O dependente químico não consegue entender, pois o uso de drogas afeta a sua capacidade de pensar de forma lógica. 

Fuga da realidade

Substâncias químicas também são conhecidas como produtos alucinógenos, que causa alucinações, confusão mental e distorção da realidade. Como foi apontado acima, as drogas aumentam a dopamina na região cerebral, que são sentimentos de alegria e bem-estar. Para cada droga, há um efeito mais específico e por alguma razão os efeitos são popularmente conhecidos entre jovens e adultos. O produto é uma fuga da realidade, onde inúmeras pessoas recorrem frequentemente. No início da pandemia no ano de 2020, foi registado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) 275 milhões de pessoas fizeram o uso de alguma substância química. Com a chegada do corona vírus, trouxe também problemas e preocupações. 

Fazer o uso de drogas não é uma opção inteligente e saudável para a saúde física e mental, é apenas uma falsa felicidade ou uma fuga da realidade momentânea. Se você que leu esse artigo e usa drogas ou conhece alguém que faz o uso de qualquer substância química, seja lícita ou ilícita, pare o quanto antes. A dependência química é uma doença crônica, e apenas em uma clínica de recuperação em São Paulo poderão realizar o tratamento contra o amor patológico pelo uso das drogas. O amor patológico faz com que uma pessoa tenha um comportamento alterado, além da dependência química.  

Se você procura por ajuda para tratar o problema ou ajudar alguém, o Grupo Aliança pela Vida é uma instituição que visa ajudar familiares que tenham envolvimento com alguma substância química, entre em contato com um de nossos consultores. O Grupo Aliança pela Vida além de possuir uma equipe de consultores profissionais, a unidade tem parcerias com clínicas de recuperação para realizar o tratamento de pessoas que precisam de ajuda. Médicos, psicólogos, supervisores, enfermeiros e nutricionistas estarão a dispor do adicto em todo o processo da recuperação.  

Fique bem informado dos acontecimentos do dia dia e sobre assuntos que somente aqui são abordados e destrinchados para você leitor estar sem bem informado e consumindo conteúdo de qualidade em nosso portal de conteúdo. Seja bem vindo ao Jornal Agora Brasil e fique a vontade

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

seis + quatro =