Como funciona a venda de empresas? Veja o passo a passo

O mercado de compra e venda de empresas bateu recorde em 2021: o volume atingiu US$5,8 trilhões, resultando em um aumento de 64% em relação ao ano anterior, como apontou a Dealogic. 

Ou seja, o cenário parece favorável para este tipo de transação, não é mesmo? 

Logo, se você é empresário e deseja entender melhor o processo de fusão e aquisição de organizações, está no lugar certo! Neste texto, explicaremos como funciona a venda de empresas e como escolher para quem vender, como outro sócio ou terceiros.

Afinal, há muitos aspectos a serem analisados e planejados, como o momento do negócio relacionado ao seu mercado de atuação e à concorrência, e o motivo de venda.

Por se tratar de uma negociação longa e complexa, que exige atenção a muitos detalhes, é fundamental que você saiba como vender uma empresa para, assim,  garantir um bom retorno financeiro por ela. 

Continue a leitura e entenda mais!

Como vender uma empresa?

Saber como funciona a venda de empresas na prática pode poupar retrabalho e prejuízos durante a negociação. Principalmente se ela for feita por um assessor financeiro especializado em fusão, aquisição e valuation (F&A) para venda.

A consultoria contratada oferece todo o suporte para o empresário entender o que precisa ser feito, em qual momento e de qual forma. Além de possuir experiência nesse tipo de processo e conhecimento aprofundado do mercado, ela consegue identificar as melhores oportunidades de negócio. A ideia é o vendedor e o comprador saírem ganhando.

Mas, mesmo que haja a participação de uma consultoria financeira qualificada, é preciso que o empresário saiba como funciona a venda de empresas para organizar “a casa” e trabalhar em conjunto com o assessor.

O primeiro passo é reestruturar a companhia e organizar toda a papelada, como contratos, documentos fiscais, aluguéis, folhas de pagamento, fornecedores, dívidas, entre outras informações. O objetivo é preparar a empresa para ser vendida no melhor valor possível.

Depois da casa arrumada, entramos, de fato, nas etapas de vendas e negociação. Veja quais são elas e saiba como funciona a venda de empresas.

  1. Cálculo do valuation para venda da empresa: a avaliação do valor da companhia é, normalmente, baseada na capacidade de gerar lucros nos próximos anos. O assessor analisa cenários de crescimento e calcula estimativas de custos futuros, por exemplo.
  2. Estruturação para a venda: defina o perfil de investidor ideal, se a venda será total ou parcial, quais serão as condições de pagamento, entre outros detalhes para elaborar estratégias sólidas e realistas.
  3. Apresentação da empresa: para conseguir um processo de venda de uma empresa de forma  confidencial, é necessário preparar uma apresentação mais abrangente sobre os pontos fortes da empresa e uma sigilosa, com informações estratégicas e financeiras.
  4. Road show: aqui, a ajuda do assessor F&A é essencial, pois determinam-se os perfis ideais de investidores para divulgar a venda da empresa. Ele cria um processo competitivo para garantir o melhor valor final.
  5. Ofertas Não Vinculantes: nessa fase, os investidores interessados enviam suas propostas e a empresa vendedora escolhe a melhor delas.
  6. Due Diligence: auditoria da empresa compradora para confirmar que todos os dados divulgados são verdadeiros. Se estiverem corretos, a empresa faz a oferta final, chamada de Oferta Vinculante.
  7. Assinatura do contrato: negociação do contrato de compra venda.

Cada etapa deve ser realizada por completo, com bastante cuidado, evitando o vazamento de informações e, consequentemente, a desvalorização da empresa.

Mas, afinal, você sabe como escolher os potenciais compradores? Veja quais são as vantagens e as desvantagens de venda de empresa para o sócio e o investidor.

Como funciona a venda de empresa para sócio ou investidor?

Além de aprender como funciona a venda de empresas, é necessário decidir quem irá comprá-la: um sócio ou um investidor de fora. Cada situação possui vantagens e, por isso, é preciso analisar com cuidado qual direção seguir.

Mesmo com a contratação de um assessor financeiro F&A, o empresário deve ter em mente se a venda total ou parcial de sua participação será interna ou externa. Mas, como escolher? Veja abaixo algumas dicas:

  • entender os motivos da venda do negócio: falta de sucessão, aposentadoria, divergência entre sócios, dificuldade financeira ou desejo de mudar de ramo;
  • verificar o contrato social da empresa: alguns delimitam regras para a venda total e parcial, como a proibição de terceiros na sociedade;
  • analisar possíveis cenários da compra e venda de empresa para sócios ou investidores.

Em um mundo globalizado, é indicado estar aberto a todas as possibilidades de negócios, incluindo até a venda de empresas para estrangeiros, por exemplo. Mas, como escolher o caminho a seguir?

Ao entender como funciona a venda de empresas, é preciso conhecer as vantagens e desvantagens entre o comprador que é um sócio ou apenas um investidor de fora.

Venda de empresa para investidor

Entre as principais vantagens, estão que os investidores:

  • possuem dinheiro para investir e aumentar a eficiência do negócio;
  • têm uma rede de contatos com parcerias de alta qualidade, com muitas possibilidades de networking;
  • são vistos como profissionais experientes e confiáveis, atraindo bons negócios  e gerando mais valor à empresa;
  • apresentam estratégias sólidas e diferentes para a expansão, melhorando a imagem do negócio no mercado;
  • podem ser ótimos parceiros, caso a venda seja parcial. Eles podem somar muito na sociedade, apresentando novas visões e reestruturações estratégicas.

Mas, por outro lado, um investidor que não conhece tanto o mercado de atuação em que a empresa está, pode atrasar o planejamento de crescimento futuro. Além disso, ele precisa criar uma sinergia com os sócios atuais para tornar o trabalho mais frutífero.

Venda de empresa para sócio

A venda de empresa para sócio é uma situação mais delicada, já que ambos, o comprador e o vendedor, já possuem um histórico e ligações afetivas e emocionais com o negócio. Há também a possibilidade de desentendimentos, levando o processo de compra e venda de empresas para a justiça.

Outras desvantagens também incluem o perigo da divergência quanto à precificação das cotas vendidas e o fato de não precisar do consentimento dos outros sócios, sendo possível vender a empresa quando desejar.

Mas, há muitas vantagens de escolher um sócio como comprador de suas cotas totais ou parciais, veja as principais:

  • conhecimento profundo sobre o mercado e o negócio;
  • redução de tempo, de custos e de burocracias durante a negociação;
  • processo de venda mais rápido do que para investidores;
  • não há a necessidade de elaborar apresentações e divulgar a venda para outros investidores, encontrando o melhor valor de compra.

Isto é, é vital que você estude,  junto ao seu assessor financeiro,  a direção mais vantajosa durante esse processo. Saber como funciona a venda de empresas é essencial para que nenhum detalhe seja esquecido ou deixado de lado.

Ter uma consultoria financeira assessorando a negociação torna o processo mais profissional e não envolve diretamente o empresário na transação, assegurando sua reputação e discrição.

Por isso, ao compreender como funciona a venda de empresas é provável que você opte por contratar um assessor especializado em fusão e aquisição para evitar problemas e prejuízos.
Fonte: Capital Invest, consultoria com quase 20 anos de experiência em assessoramento financeiro em compra, venda e avaliação de empresas.

Fique bem informado dos acontecimentos do dia dia e sobre assuntos que somente aqui são abordados e destrinchados para você leitor estar sem bem informado e consumindo conteúdo de qualidade em nosso portal de conteúdo. Seja bem vindo ao Jornal Agora Brasil e fique a vontade

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × cinco =