Como elaborar uma planilha de gasto?

Uma planilha de gastos pode transformar a maneira como famílias e pequenos negócios lidam com seus recursos. 

As planilhas de gastos são elaboradas em aplicativos especializados em bancos de dados e matemática financeira.

A importância da educação financeira

A educação financeira é o objetivo por trás de uma planilha de gastos. 

Exercitando o pensamento de longo prazo e a capacidade de medir riscos, construir uma planilha de gastos contribui com uma mudança de paradigma que se manifesta em efeitos macro e microeconômicos.

Efeitos macroeconômicos

Efeitos macroeconômicos são fenômenos de múltiplas variáveis, capazes de criar impactos que reverberam na indústria, comércio e serviços, bem como em todos os elementos que formam o mercado consumidor. 

Redução do índice de inadimplência 

O índice de inadimplência é uma taxa relacionada ao potencial de endividamento da população e a percepção de insegurança na hora de fazer negócios. 

Quanto mais longo é o histórico, mais extensos são os prejuízos no contexto macroeconômico. 

Um índice de inadimplência elevado estrangula o capital de investimento das empresas, reduz a oferta de crédito, desacelera o crescimento e por consequência, aumenta os preços de produtos e serviços, uma vez que o prejuízo deve ser coberto pela parcela pagadora. 

Grande parte desses problemas são provocados por uma abordagem inconsequente das finanças pessoais e empresariais. 

A melhoria na educação financeira viabiliza um planejamento mais efetivo e honra dos compromissos.  

Aceleração do trânsito jurídico

As esferas civil, criminal e tributária lidam frequentemente com problemas relacionados ao acúmulo de dívidas e à insolvência. 

Cada empresa, ao quebrar, provoca uma miríade de processos judiciais iniciados por ex-funcionários, investidores e clientes. 

A educação financeira em uma transportadora de cargas pequenas, ao prevenir falências, remove dezenas de potenciais pedidos judiciais dos órgãos responsáveis, tornando o trânsito de causas mais ágil e melhorando a eficiência para outras questões.  

Atração de investimentos 

Populações e empresas que honram seus compromissos criam ambientes de negócios seguros e convidativos para investidores e consumidores de fora, um fenômeno que injeta um amplo capital de giro naquele local. 

O crescimento macroeconômico é definido, em grande parte, pela capacidade de gerar valor. 

Investir na educação financeira cria uma cultura de gerenciamento inteligente da riqueza gerada, com atração de oportunidades para organizações e pessoas. 

No contexto doméstico, um controle adequado das despesas pode abrir espaço para a contratação de projetos de arquitetura

Essa medida, por si, gera emprego para uma dezena de profissionais e receita para empresas, alimentando um ciclo de lucros. 

Efeitos microeconômicos 

Os efeitos microeconômicos são aqueles visualizados com maior clareza pelo indivíduo, posto que é a consequência imediata dos efeitos que acometem multidões. A educação financeira promove os benefícios:

Maior poder de compra 

O controle das finanças permite a redução de desperdícios e o aumento da margem de investimento, ou seja, a quantia que resta após o pagamento das necessidades mais básicas do indivíduo ou família. 

Em termos financeiros, essas mudanças injetam liquidez sobre a renda doméstica, viabilizando gastos maiores com lazer, serviços não-prioritários, produtos de maior qualidade e comodidades como adestramento de cães, por exemplo. 

Um maior poder de compra, baseado no aproveitamento máximo da renda gerada pela família é um excelente indicador de satisfação, capaz de reduzir o acúmulo de estresse e a incidência de emoções negativas como medo, raiva, tristeza e frustração.  

Independência financeira

A independência financeira é a capacidade de sustentar todas as suas necessidades de maneira integral, sem a ajuda de um tutor. 

Essas necessidades incluem alimentação, moradia, higiene, transporte e segurança. 

A aquisição do próprio imóvel é um grande símbolo da independência financeira, em razão da redução de impostos e do aumento das liberdades para personalizar e alterar aspectos da casa. Trata-se de uma das conquistas mais decisivas da vida adulta. 

Alimentar um hábito de planejar e analisar os gastos domésticos desde jovem, avaliando o orçamento de um aluguel de ônibus para passeio, é essencial para a aceleração na conquista da independência financeira, demonstrando pensamento de longo prazo. 

Qualidade de vida 

Ao unir todos esses indicativos, o desdobramento mais evidente é a melhoria na qualidade de vida. 

Além da satisfação de necessidades básicas, esses fatores aprimoram a auto-estima e acentuam a identidade do indivíduo. 

Estudos internacionais apontam que o dinheiro é a principal fonte de estresse, capaz de desencadear respostas psicossomáticas que prejudicam o fluxo arterial e o metabolismo, contribuem com o surgimento de doenças crônicas e transtornos mentais. 

Organizando despesas 

O uso de planilhas na organização de despesas é comum no ambiente corporativo e doméstico, com aplicativos versáteis e de navegação intuitiva para a construção dessas estruturas. 

A aplicação da administração financeira se dá em contabilidade empresarial e doméstica.,

Contabilidade empresarial 

A contabilidade empresarial é gerida por uma série de dispositivos de lei que definem o tipo de tributação, as condições básicas de funcionamento e a prestação de contas aberta e livre em determinadas modalidades, como a sociedade anônima. 

Balanços contábeis 

Os balanços contábeis são documentos que, em forma de tabela, dividem o fluxo de recursos monetários em ativos, passivos e patrimônio líquido. 

Seu objetivo é lançar um olhar mais amplo sobre o impacto da geração de receita sobre os bens totais. 

Toda despesa é um passivo e todo bem que possa ser convertido em receita é um ativo. 

Existem ativos que não podem ser convertidos imediatamente, outros que entram na empresa em dinheiro vivo. São os ativos não-circulantes e circulantes. 

Algumas dívidas são imediatas, como salários e assinaturas, cobrados mensalmente. São os passivos circulantes. 

Outros compromissos, como empréstimos e financiamentos exibem intervalos maiores de pagamento, sendo os passivos não-circulantes. 

Uma produtora de cerca concertina dupla pode analisar impactos sobre o patrimônio líquido, ou seja, o capital de investimento derivado de fundadores e sócios, por meio de documentos como esse, identificando possíveis gargalos no orçamento. 

Demonstrativos de Resultado do Exercício (DRE)

Os demonstrativos de resultado do exercício são o principal documento contábil para dedução de impostos em médias e grandes empresas. Separa os diferentes tipos de despesas entre a receita bruta e o lucro líquido. 

O objetivo da tabela, além da aplicação tributária, é estabelecer os dividendos de uma empresa, ou seja, a parcela de lucros que vão remunerar os sócios que investiram no patrimônio líquido do negócio. 

Fluxos de caixa

Os fluxos de caixa são documentos mais dinâmicos e destacam as entradas e saídas do empreendimento. 

Apresenta suas próprias métricas que permitem a avaliação da liquidez operacional, isto é, a folga entre o dinheiro circulado e a reserva de caixa. 

Contabilidade doméstica

A contabilidade doméstica é inegavelmente mais simples que as finanças empresariais, por uma série de motivos, tais como: 

  • Menor número de entradas e saídas; 
  • Ausência de legislação regulatória; 
  • Fonte de renda única ou dupla; 
  • Tributos simplificados. 

As planilhas de gastos destinadas ao público doméstico possuem menos categorias e podem ser gerenciadas manualmente, consumindo pouco espaço de armazenamento nos aplicativos que podem ser usados na tarefa. 

1 – Avalie gastos sob a luz das necessidades

As necessidades humanas são numerosas e abrangem mais tipos que aquelas que são fisiológicas e fundamentais para a sobrevivência. 

Os humanos precisam de relações sociais saudáveis e senso de identidade, autenticidade e missão. 

Conforme as necessidades fisiológicas são supridas, mais intensa se torna a falta por elementos das demais categorias. 

Ao considerar esse fenômeno, é possível traçar uma planilha de gastos que identifique pontos de satisfação na rotina individual. 

Organizar as despesas domésticas salva tempo e dinheiro que podem ser realocados nas aspirações do indivíduo ou mesmo no aprimoramento de questões mais básicas, como no pagamento de um conserto de ar condicionado.  

2 – Separe as despesas essenciais 

As despesas essenciais, como já exemplificadas nos tópicos anteriores, podem ser organizadas em pontos separados da planilha, com o uso de cores. Esses gastos são fixos e devem ser prioridade na alocação de recursos. 

O pagamento de dívidas também deve ser incluído entre as despesas essenciais, como modo de facilitar a prestação de contas. 

É importante analisar as variações de preços das despesas essenciais como modo de prevenir o estrangulamento da receita. 

3 – Trace um histórico de meses anteriores

Um histórico de finanças diz muito sobre os hábitos de consumo de uma família e como os fatores macroeconômicos afetam sua dinâmica interna. 

É possível acessar as informações sobre meses anteriores em notas fiscais da compra de uma bateria 60 amperes, e contas. 

Ao fazer uma planilha de gastos, considere desenvolver um histórico de até seis meses desde o período vigente, incluindo ao menos as despesas prioritárias. A avaliação e projeção de despesas futuras torna-se possível ao comparar registros. 

4 – Especifique valores absolutos e porcentagem 

Um dos mais simples métodos de análise financeira é a transformação dos itens de toda a tabela em porcentagem, onde a receita bruta representa o valor referencial de 100%. 

A metodologia nascida para o ambiente corporativo pode inserir-se no meio doméstico. 

Para implementar a análise financeira por porcentagem, posicione a renda total do mês na parte superior da planilha, estabelecendo cada gasto em colunas separadas para valores absolutos e a porcentagem extraída. 

Ao final da compra de todos os itens para a casa, desde alimentos até pasta para polir alumínio, estabeleça locais separados para o montante que restou das despesas e possíveis porcentagens destinadas a reservas de emergência.

Considerações finais

As planilhas de gasto são recursos simples, mas com grande potencial de organização das despesas de uma casa. 

Usando modelos próprios das organizações privadas como inspiração, é possível planejar-se em longo prazo. 

O planejamento das finanças é uma etapa necessária para a conquista da independência financeira e de muitos outros benefícios.

Investir na prática garante o bom aproveitamento da renda mensal, com efeitos que se refletem em qualquer rotina. Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Fique bem informado dos acontecimentos do dia dia e sobre assuntos que somente aqui são abordados e destrinchados para você leitor estar sem bem informado e consumindo conteúdo de qualidade em nosso portal de conteúdo. Seja bem vindo ao Jornal Agora Brasil e fique a vontade

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezoito + nove =